Subscribe to RSS feeds

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Colorido leitor:


A vida corre; a luta pela sobrevivência é intensa; a praticidade se impõe. Tudo isso faz com que os pequenos gestos de atenção, de gentileza, fiquem esquecidos. Entre eles, as manifestações de agradecimento. Sim, agradecer é uma arte. Quando se agradece, não basta a simples repetição mecânica de palavras; é necessário que elas contenham o brilho da sinceridade e o calor da verdade de quem agradece. Essa arte é feita, inclusive, de sutilezas e de delicadeza. O agradecimento não pode soar como uma obrigação; não pode também conter a arrogância dos que agradecem a contragosto. Agradecer é como pintar ou esculpir: a alma de quem faz ...deve misturar-se ao gesto de fazer. O resultado precisa conter a beleza integral dessa manifestação de atenção. Já reparou, caro leitor, como um simples “obrigado” é algo poderoso? Muitas vezes, em meio à tensão de um contato mal-sucedido, ou mesmo quando se percebe que o desentendimento vai descambar para uma discussão, essa palavra mágica , desarma espíritos e dissolve resistências? Manifestar agradecimento também honra e enobrece aqueles a quem agradecemos. É o caso típico dos que nos prestam serviços – como balconistas, garçons, porteiros, motoristas de ônibus ou de táxi -, a quem muitos não agradecem, seja por distração, seja por acharem que não fazem mais do que sua obrigação ao nos atenderem bem. E sem dúvida um “muito obrigado”, dito com calor e sinceridade, pode salvar o dia de alguém que já pode estar se considerando humilhado, mal remunerado ou injustiçado em seu trabalho. Interessante é lembrar que, embora a gente nem sempre exercite a arte de agradecer, desejamos receber agradecimentos. Muitas vezes nos enfurecemos quando não recebemos pelo menos uma palavra de agradecimento. Nossa idéia mais típica é julgar que aí existe uma ingratidão em relação ao que fizemos. Preocupa-me sobremaneira observar que a arte do agradecimento não está sendo passada como antes às novas gerações. Crianças – pessoas em formação – não nascem sabendo agradecer; precisam ser ensinadas; necessitam aprender essa arte, como as demais regras de civilidade e gentileza sem as quais jamais se tornarão integralmente humanas. Adultos têm o dever de passar a esses seres novos que entram no mundo o que esse mundo contém, de mau ou de bom, inclusive as manifestações básicas de conduta harmoniosa na convivência com os outros, entre elas a ...arte de agradecer. Assusta-me igualmente ver entre os jovens essa ausência contumaz de agradecimentos. Quero crer que lhes parece “caretice” dizer um “obrigado”. Ou talvez seja simples falta de tempo, ou ainda um dos frutos da confusão comunicativa a que me referi no início desta crônica. Agradecer é doar-se em sinceridade a outrem; é reconhecer-lhe a importância; é testar a própria humildade; é manifestar a boa educação – condição que também parece estar se dissolvendo em meio à brutalidade e à ignorância cada vez mais generalizadas. Receber alguma coisa – uma mensagem, um presente, um bom serviço, ou um simples gesto de atenção – é muito bom. Porém, melhor ainda é usufruir dos resultados da arte de agradecer. Quando superamos nossas resistências, às vezes até motivadas pela timidez, vemos o quanto é gostoso agradecer, geralmente vendo refletida nos olhos daqueles a quem agradecemos.
Então eu quero dizer: obrigado pelos diversos e-mails que recebi, de amizade, de carinho, de dúvidas, de convites, de afeto...Obrigado pelo apoio, queridos leitores.



3 comentários:

Mr. Lemos disse...

Bravo! Obrigado por dividir com as pessoas seus belos pensamentos!

Anônimo disse...

Voce é simplesmente demais! Adoro seu blog! bj

Wagner, DUBLIN disse...

obrigado anônimo (a).