Subscribe to RSS feeds

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Penúltimo Post...


“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”
Amyr Klink

Viajar, conhecer e desfrutar, mesmo que sozinho, foi indescritível.
Viagens solo, são cercadas por preconceito e incompreensão. Parte do estigma associado a viajar sozinho decorre do fato de que sempre se fala dos problemas - e quase nunca das recompensas. Sim, elas existem. Viajar desacompanhado não é a alternativa que resta a quem não conseguiu companhia. É uma experiência que todo viajante que se preze deveria viver ao menos uma vez.
A viagem solo é sempre mais intensa: você se relaciona diretamente com o lugar que visita. Não há distrações. Você é o narrador de seu filme. Não precisa negociar horários, nem movimentos. Passar um tempo sem que ninguém ao seu redor saiba exatamente quem você é, pode ser uma experiência tão interessante e enriquecedora quanto a viagem em si.
Xô, baixo astral. Existem vários truques para não deixar que a sensação de solidão se sobreponha ao prazer da viagem. O principal é acordar cedo e encher o dia de atividades, para que a noite tenha peso menor em sua agenda. Fazer do almoço a sua refeição principal - pelo menos até que você ache natural pedir mesa para uma pessoa - também ajuda. Antigamente era recomendável manter um diário de viagem, mas hoje existe algo muito melhor: crie um blog ou um perfil no Twitter, e você vai se sentir viajando com os amigos.
 Por um detalhe, digamos, anatômico, nunca vou saber o que é viajar desacompanhado. Ainda assim, duvido que o leitor encontre, entre os destinos internacionais manjados, algum lugar que seja mais inseguro do que as grandes cidades brasileiras. Eu não evitaria nem mesmo lugares normalmente desaconselhados, como países muçulmanos. Caso do assédio, a discriminação e o preonceito - que existe, e como! - incomodar além do limite tolerável, entre em uma agência local e compre passeios em grupo. 
Viaje e faça amigos. Não arranjou companhia e detesta a ideia de viajar sozinho? Existem muitas alternativas a considerar:
Hospede-se em albergues: hostels funcionam como agências de viagem e centros sociais. É quase impossível não se enturmar. E você nem precisa dormir em quarto coletivo: quase todos oferecem apartamentos privativos.
Encaixe-se em passeios guiados: em city tours, que tendem a reunir um público formado por pequenos grupos que dificilmente, não se interagem.
E tomando de alegria e curiosidade, fiz viagens maravilhosas, neste intercâmbio.

Obs.: Agradeço, a minha jaqueta impermeável vermelha da Patagônia, que me protegeu da chuva e do frio, nestes meses congelantes na Europa e minha bolsa de viagem preta da Adidas...que sobreviverammmmmmmmmm...hahahahahahaahah.


Berlim, Alemanha
Dresden, Alemanha
Chemnitz, Alemanha
Zurique, Suiça
Engelberg, Suiça
Lucerne, Suiça
Dublin, Irlanda
Kilarnney, Irlanda
Galway, Irlanda
Cork, Irlanda
Howth, Irlanda

Wicklow, Irlanda
Cobh, Irlanda 
Connemara, Irlanda
Edimburgo, Escócia
Ness, Escócia
Bruge, Bélgica
Bruxelas, Bélgica
Belfast, Irlanda do Norte
Ballycastle, Irlanda do Norte
Derry, Irlanda do Norte
Gênova, Itália
Milão, Itália
Piza, Itália
Roma, Itália
Viareggio, Itália
Veneza, Itália
Verona, Itália
Fátima, Portugal
Lisboa, Portugal
Greenwich, Inglaterra
Londres, Inglaterra
Versalhes, França
Paris, França

4 comentários:

Bruna disse...

Como assim Penúltimo, vai ligar a bomba-relógio melbem??
Ai que delicia viajaaaaar!!! Vamo vamo vamo?? =D

Mr. Lemos disse...

Grande viajante! Muito boas as fotos. Concordo com o que vc falou. Viajar sozinho pode ser enriquecedor demais. Uma das melhores viagens que já fiz na vida foi de Sampa até a divisa do Espírito Santo com a Bahia, sozinho no carro... Inesquecível.
Parabéns élas descobertas..
abraco

Bárbara Borges, Daiene Medeiros e Ian Eliziário disse...

Eu tb concordo que, pelo menos uma vez, deveríamos aproveitar a nossa própria companhia, o estar consigo mesmo.

*Amei a foto de vc em Howth - Irlanda, parece profissional. Linda!

Wagner,Brasil disse...

brunita, a bomba já estava desligada desde novembro. Eu já tinha em mente ,encerrar o Blog, depois que decidi, em setembro, depois do marca-passo, voltar para o Brasil. Ernani, quando vc fizer o seu penultimo post, vai ter muito mais cidades, pra nos mostrar...Bárbara, sem demasias , sem orgulho e egoísmo, eu adoro a minha compania, adoro ficar sozinho, ver a vida, e as belas paisagens, que o criador, disse em alguns palavras: Então faça-se luz, e criou o dia...beijo a todos.