Subscribe to RSS feeds

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Romeu & Julieta


E no caminho para Veneza, tinha uma Verona...porquê, perder a oportunidade? Desembarquei do trem Milão-Veneza e fui conhecer, mais esta cidade italiana, ao que me parece, foi fundada pelos Celtas. Mais tarde, foi uma colônia romana em 89, com o nome de Augusta. Foi capital de ducados durante a Reino Lombardo. Em 145 foi uma colônia de monges Benedetinos.
Verona chegou a ostentar a supremacia artística de toda a Itália, sendo sede de uma escola pictórica onde se destacou Paolo Veronese. Verona foi palco para a célebre matança de franceses conhecida com o nome de Páscoas Veronesas.

Verona foi incorporada ao Reino de Itália, em 1866, com a Terceira Guerra de Independência Italiana.
A cidade foi declarada patrimonio da humanidade pela UNESCO por causa da sua estrutura urbana e arquitetura: Verona e' um maravilhoso exemplo de cidade que se desenvolveu progressivamente e sem interrupçoes durante dois mil anos , integrando elementos artisticos de altissima qualidade dos diversos periodos que se seguiram, representa tambem , em um modo excepcional o conceito de uma cidade fortificada em etapas determinantes da historia européia .

Desjejum básico, Veronês

Segunda maior cidade da região do Vêneto, depois de Veneza, e segunda maior sede de ruínas romanas na Itália, depois de Roma, Verona, às margens do rio Adige, foi feita para caminhar.
Ali, próximo dos vinhedos de valpolicella, soave e bardolino, e também do lago de Garda, tudo alude ao trágico romance de Romeu e Julieta, cuja sacada fica na via Cappello, 27. Na cidade, os caminhos convergem para a imensa Arena, um anfiteatro romano oval de 139 m por 110 m que, construído em 30 d.C. está quase intacto,e hospeda com freqüência espetáculos de canto lírico e teatro.

Ponto de partida ideal para descobrir Verona a pé, a praça Brà, com seus imensos portões, de 1480, fica a poucos passos do palácio della Gran Guardia, de 1610, e, também, da Arena. Além de centro histórico, a praça delle Erbe, predominantemente medieval, abriga um mercado de hortifruti a céu aberto e é o núcleo comercial mais importante da cidade.
Lá há bares com mesas na rua, palácios imponentes como o Castelvecchio, do século 14, e marcos simbólicos como a estátua do florentino Dante Alighieri (1265-1321), na praça dei Signori. Considerado o maior poeta e o artífice da língua italiana, o autor de "A Divina Comédia" foi, por três anos, exilado em Verona. Sobre as águas ainda limpas do Adige, a ponte Nuovo, de 1540, liga o centro histórico às colinas, a leste.

Além do Duomo, de 1139, e da igreja de Sant'Anastasia, de 1290, a igreja de San Zeno Maggiore, românica, foi edificada de 1123 a 1135 para abrigar a tumba do santo padroeiro veronês. Essa última tem 48 baixos-relevos de bronze com cenas da vida do santo,algumas são mais velhas que a igreja.

Rio Adige

Entre os templos da gastronomia, a Antica Bottega del Vino, na via Scudo di Francia, 3, um dos mais renomados restaurantes locais, é uma velha e concorrida estalagem que, além das comidas típicas, dos embutidos e dos canapés expostos no balcão, abriga uma exclusiva adega avaliada em 2 milhões.
Ali, muito além dos vinhos regionais, há garrafas de sassicaias, de ornellaias e, também, de clássicos franceses como Romané-Conti, Chateau D'Yquem e Chateau Margaux.

Centro histórico Verona, muita chuva...
Verona é um dos locais onde se passa a história da peça Romeu e Julieta escrita por William Shakespeare. No centro da cidade existe uma vila onde, pelo que conta a história, Julieta morava. Este é um grande marco da cidade, que recebe a fama de cidade dos namorados, atraindo centenas de turistas. Passa-se também parte da história de William Shakespeare "A Megera Domada".

A história tem como cenário a cidade de Verona. Duas famílias poderosas são inimigas mortais: a família Montecchio e a família Capuleto. Vivem em constantes conflitos, os quais perturbam a ordem e a paz da cidade. Tais acontecimentos provocam a ira do Príncipe que determina severa punição aos envolvidos nos conflitos: caso as brigas e provocações não cessassem, seriam punidos com a morte. Romeu, um jovem Montecchio passional e destemido, sofre de amor por Rosalina. Tem como melhores amigos e companheiros Benvólio e Mercúcio.

Entrada para a casa de Julieta

 É convidado por estes, no intuito de fazê-lo esquecer Rosalina, a ir ao baile de máscaras dos Capuleto. Romeu encanta-se por uma jovem e bela moça, que descobre ser Julieta Capuleto, que corresponde ao encantamento. Mais tarde, Romeu invade o jardim da casa de Julieta e, escondido, ouve Julieta declarar seus sentimentos por ele. Decide revelar sua presença e após trocarem juras de amor, marcam o casamento para o dia seguinte. Romeu vai à cela de Frei Lourenço e convence-o a realizar a cerimônia secreta.

A sacada original, dos versos e cantorias românticas

Com a ajuda da Ama de Julieta, a cerimônia é realizada. Após a cerimônia, Romeu presencia um duelo entre seus amigos e Teobaldo, um Capuleto, primo de Julieta. Mesmo desafiado Romeu nega-se a lutar, mas Teobaldo mata Mercúcio e Romeu, tomado pela cólera, mata Teobaldo. O Príncipe abranda a punição e permite que Romeu viva, mas resolve bani-lo da cidade para sempre. Romeu refugia-se na cela do Frei Lourenço. Julieta, prometida ao Conde Páris, recebe a notícia dos acontecimentos e mantém-se apaixonada por seu marido. Manda a Ama procurá-lo e entregar-lhe um anel como prova de seus sentimentos. Pede que Romeu vá ao seu quarto durante a noite. Romeu e Julieta passam a noite juntos.


A Casa de Julieta, virou Museu, e é a principal atração turística de Verona.


A Ama, apesar de ajudá-los tenta convencer Julieta de que Romeu não serve para ela. Julieta zanga-se com a Ama. Romeu parte para Mântua logo pela manhã, após o canto da Cotovia, que simboliza o amanhecer. Enquanto isso, os pais de Julieta resolvem casá-la com o Conde Páris. Desesperada Julieta pede ajuda ao Frei que a aconselha a aceitar o casamento para despistar seus pais. Dá a ela um frasco de elixir para simular sua morte e montam um plano: Julieta deveria tomar o conteúdo do frasco, sua família acreditaria em sua morte, o casamento com o Conde não se realizaria e o Frei, através de uma carta explicativa, mandaria Romeu voltar para que ficassem juntos. Porém a carta se extravia e Romeu recebe a notícia da morte da amada.


Compra um veneno e desesperado decide morrer também. Volta à cidade e defronta-se com o Conde no mausoléu onde está Julieta. Travam duelo e Romeu assassina-o. Toma o veneno diante do corpo de Julieta e morre abraçado a ela. Frei Lourenço chega para tentar impedi-lo, mas é tarde, foge para não ser desmascarado e punido, porém antes acorda Julieta, que horrorizada decide ficar junto de seu grande amor. Julieta beija Romeu para tentar absorver o veneno de seus lábios e morrer também, mas sua tentativa é frustrada. Apanha a adaga de Romeu e apunhala-se, morrendo junto de seu marido. As famílias, após descobrirem os sacrifícios dos jovens, perdoam-se mutuamente e juram manter a paz em nome do amor de seus filhos.


É realmente uma cidade linda, com uma atmosfera "romântica", indico para casais apaixonados e é um passeio, imperdível pelo seu valor histórico e lírico.
.

gelatto italiano

Vocês acham, que eu resistiiiiiiiiiiiiiiii ?
.
Trem Verona-Veneza

4 comentários:

Juliana disse...

Oi Wagner
Ai que vontade de ir pra Veneza! E as comidinhas que delicia.
Ei adicionei um link do facebook no meu blog.
Vamos conversando :)
bj

Wagner,Brasil disse...

Juliana, este post é sobre VERONA, Veneza, ainda é para a semana que vem...hahhahahaahah...me manda, o pedido do facebook de novo, eu não aceitei, não sabia..quem era..sorry..hahahahahh

Cibele disse...

Ai Wagner Verona eh td ne?hehe...mas vc nao colocou foto da opera de Verona???Eh linda!!!Wagner vem pra ca passearrrrrrrrrr....beijossss saudadesssssssssss

Wagner,Brasil disse...

bem que eu queria Cibele, to odiando a onda de calor extremo, aqui no Brasillll...eu não cheguei a ir na Opera de Verona..hahahahaah..beijos.