Subscribe to RSS feeds

domingo, 9 de janeiro de 2011

Despedindo-me de Portugal, Fátima

Primeiro tenho que falar da minha formação religiosa: sou católico, fui batizado, fiz a primeira comunhão, a crisma e segui os preceitos ensinados por minha mãe, católica fervorosa. Mas com o passar do tempo e o desenvolvimento de minha maturidade e espiritualidade, já não sou tão católico assim. Já faz um bom tempo, que não me confesso e não comungo.Não deixei de ser mais ou menos católico por isso. É que passei a acreditar na espiritualidade da alma e do poder do ser humano.
 Como cresci na mais religiosa das cidades brasilerias sempre admirei e continuo a ter devoção por Nossa Senhora Aparecida...minha mãe e protetora. Não acredito e não confio, nas palavras dos padres...acredito no que está escrito na "Bíblia", e não nas pessoas que transmitem a sua mensagem: são humanos como eu, que cometem algum tipo de pecado ou muitos, todos os dias. Passei a acreditar que Deus está dendo de cada um de nós, porque fomos feitos à sua imagem. Eu acredito  na estória do encontro da imagem, de Nossa Senhora Aparecida, as margens do Rio Paraiba em 1917, eu cresci com essa estória.
Ter visitado Fátima em Portugal e o Vaticano em Roma , é como uma afirmação da minha fé, na religiosidade da esperança da salvação das almas.  Foi por isso que tive a vontade de conhecer em Portugal, o santuário de Fátima, por acreditar nas aparições e na fé que move, o culto à mãe de Deus. É como estar em um lugar místico, receber as bençãos e sair em paz, consigo mesmo. É emocionante, quando se chega nesses lugares sagrados, é como se vc fizesse uma limpeza, na sua própria alma. Nosso espirito se ilumina e nosso coração fica em paz.
Para quem não conhece a estória das aparições e o segredo que envolve Nossa Senhora de fátima, eis a história:

 Nossa Senhora de Fátima é uma das designações atribuídas à Virgem Maria que, segundo a Igreja Católica, teria aparecido repetidamente a três pastores, no lugar de Fátima (Portugal), tendo a primei aparição acontecido no dia  13 de maio de 1917. Estas aparições teriam continuado durante seis meses seguidos, sempre no mesmo dia (excetuando em Agosto). A aparição é associada também a  Nossa senhora do rosário, sendo portanto aceito a combinação dos dois nomes - dando origem a "Nossa Senhora do Rosário de Fátima" - pois, segundo os relatos, "Nossa Senhora do Rosário" teria sido o nome pelo qual a Virgem Maria  haveria se identificado, dado que a mensagem que trazia consigo era um pedido de oração,  nomeadamente, a oração do  Santo Rosário.
Três crianças, Lúcia de Jesus dos Santos (de 10 anos), Francisco Marto (de 9 anos) e Jacinta Marto (de 7 anos), afirmaram ter visto Nossa Senhora no dia 13 de Maio de 1917 quando cuidavam de um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Aljustrel, pertencente ao concelho de Ourém, Portugal.
Segundo relatos posteriores aos acontecimentos, por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, as crianças teriam visto uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir embora, mas, logo depois, outro clarão teria iluminado o espaço. Nessa altura, teriam visto, em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma "Senhora mais brilhante que o sol".
Segundo os testemunhos recolhidos na época, a senhora disse às três crianças que era necessário rezar muito e que aprendessem a ler. Convidou-as a voltarem ao mesmo lugar no dia 13 dos próximos cinco meses. As três crianças assistiram a outras aparições no mesmo local em 13 de junho, 13 de julho e 13 de setembro. Em agosto, a aparição ocorreu no dia 19, no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque as crianças tinham sido levadas para Vila Nova de Ourém pelo administrador do Conselho no dia 13 de agosto. Os 3 pastorzinhos ja faleceram, e em 2000, foi desvendado o terceiro e ultimo segredo, em uma carta ao Papa.
A viagem de carro entre Lisboa e Fátima durou 1:30 minutos. Fomos eu, minha amiga Carla e suas duas lindas princesas a Aninha (sapeca) e a pequena Isabela.

Santuário de Fátima

A Igreja

O local exato das aparições , onde foi construído esta capelinha. A imagem, não fica dentro da Igreja.

 Eu e  Carla

Interior da Igreja

Carla, Aninha e Isabela

Ao redor do Santuário, para compra de lembrancinhas
Bolinho de bacalhauuuuuuuuuuuuuu

Primeira vez na vida, que vejo um pé de Oliveira...existe...hahahahahahahah

Amei...arroz doce 


Lisboa pode ser resumida em uma palavra: variedade. Desde a Catedral da Sé do século XII até as modernas pontes que cruzam o Rio Tejo, no aqueduto de Águas Livres do século 18, à futurística Estação do Oriente, Lisboa atravessa as épocas. Os muitos bairros da cidade incluem a Alfama moura, que abriga a mais alta colina da cidade e o Bairro Alto, do século XVII, com sua vida noturna agitada. Museus, castelos, mercados ao ar livre, teleféricos, o fado.
Lisboa ergue-se nas suas 7 colinas sobre o rio Tejo, banhada por uma luz única. Capital de Portugal desde a sua conquista aos Mouros em 1147, Lisboa é uma cidade lendária com mais de 20 séculos de história e o mais importante pólo turístico do País.
Dos edifícios pombalinos da Baixa, com fachadas de azulejos, às estreitas ruas medievais dos Bairros típicos de Alfama e do Bairro Alto, onde à noite se pode ouvir o fado e usufruir de um divertida vida noturna, aos inúmeros museus e lojas, Lisboa é uma cidade com várias opções.

Carla caprichosa, meu jantar de despedida de Portugal: bacalhoada.
 
Lisboa revela a sua vocação de cidade animada durante os festejos dos Santos Populares, no mês de Junho. No dia 13 de Junho comemora-se o feriado de Santo Antônio, padroeiro da cidade, substituindo a antiga devoção a São Vicente de Saragoça.
Sua culinária é rica, com uma variedade muito grande de restaurantes nacionais e de cozinha internacional. No entanto, a proximidade da costa, ditam a predominância de peixe fresco e marisco nos pratos da região. É o caso das sardinhas assadas, as amêijoas "à Bulhão Pato", sopas de peixe "à fragateira" e variados pratos à base de bacalhau. Entre a sortida doçaria, os pastéis de Belém são imperdíveis.
Outras especialidades típicas do distrito de Belém são os queijos de cabra e de ovelha do Sobral de Monte Agraço e de Azeitão, os folhados da Malveira e o "pão de ló" de Loures, os saborosos doces de noz e ovos de Cascais, as "queijadas" de Sintra; os vinhos de Colares, Bucelas, Setúbal, Carcavelos e o vinho "moscatel" de Setúbal.

Atrasinho básico do vôo da Lufthansa, para a Itália, Milão, depois Roma.


A minha impressão de Portugal foi muito positiva: o idioma favorece, a culinária também. O povo português é alegre e educado.
Juro por Deus, que se não tivesse escolhido a Irlanda, que eu aprendi a amar, moraria facilmente em terras portuguesas. Portugal é um Brasil melhorado, na Europa, com sua histórias e modernidade.

Adeus Portugal.

Sobrevoando os Alpes, em direção à Milão.
 
fonte: wikipédia

5 comentários:

Monikinha disse...

Oi Amoreco, q saudades me deu de Lisboa...mas confesso q hei de voltar p conhecer Fatima!

Um grande beijo e um domingão bem trnaquilo p vc!

Wagner, DUBLIN disse...

Com certeza, vc merece essa benção também em suas vidas...beijo grande.

Nivea Sorensen disse...

Lindissimas as fotos. Fiquei ainda com mais vontade de conhecer Portugal.
Beijos,
N.

Mr. Lemos disse...

Ver azeitona preta assim no pé nã tem preço...

Wagner, DUBLIN disse...

caramba...Ernani...foi exatamente o que pensei, na hora que tirei a foto...hahahahahaha..maravilha né?